red blog

27.DEZ.2018

Um exemplo de formiga

Um exemplo de formiga

Por: Poliane Carvalho

 

Onde buscar inspirações para algo tão simples de ser dito, no entanto, difícil de ser analisado?

Fica fácil ao relembrar a nossa infância, mais especificamente as adaptações de Esopo: de quando a cigarra em um verão maravilhoso cantava todos os dias sem se preocupar com o inverno, e lá estavam as formigas sempre organizadas e disciplinadas juntando suas comidas, até que o grande frio chegou e a cigarra ficou sem nada.

Desesperada, foi pedir abrigo às formigas, que gentilmente lhe hospedaram, mas com uma condição, que nos próximos verões ela trabalhasse como cantora para animar os dias tensos de trabalho das formigas.

Não tive dúvidas, um bom exemplo, onde a criatividade de unir duas funções, disciplina e organização gerou retorno a todos.

Percebe-se que assim como na fábula, criatividade, organização e disciplina fazem parte dos pilares para o sucesso de um negócio, pois, é imposto um diferencial para alcança-lo, e na comunicação estes atributos são indispensáveis, devido ao crescimento deste mercado, o de vender ideias, que exige ser criativo o suficiente para atrair clientes e despertar o desejo pela originalidade.

Ser original parece contraditório às regras, o mesmo parece soar aos profissionais da comunicação, que precisam ser criativos e ousar cada vez mais, ou ir além disso para gerarem lucros. A organização e disciplina devem fazer parte deste mercado criativo com equilíbrio e responsabilidade. Devem ser como uma dança no mesmo ritmo, e terem os passos certos para alcançar o sucesso e terminar a música com aplausos.

Conviver em harmonia com as três formas fica cada vez mais fácil com a prática. Sempre que possível deve-se unir o útil ao agradável e fazer da regra uma ideia nova. Ver na organização novas possibilidades, do erro uma saída diferente, e seguir com entendimento das responsabilidades que o sucesso empresarial nos impõe.

Criar é uma palavra que lembra desordem, bagunça. No entanto, não é como acontece, ser criativo na comunicação precisa ter disciplina, para adaptar a marca ao cliente, e a marca ao consumidor. É fazer malabarismos, para não exagerar e não ser indisciplinado, é mudar ideias, reformular planos, e isso exige um espaço de organização e disciplina.

Não são regras difíceis a serem seguidas, mas atos que devem ser levados para convivência no âmbito empresarial, adaptar, encaixar, inventar com limites, ter ousadia dentro da necessidade com simplicidade.

Com trabalho em equipe e mais esta convivência harmoniosa das três formas, fica mais prático, eficaz e simples realizar um projeto.

Veja também