red blog

14.JUL.2017

O Marketing Digital tem um novo aliado: o Código de Conduta para Agências Digitais

O Marketing Digital tem um novo aliado: o Código de Conduta para Agências Digitais

O comércio digital, seja por lojas online, redes sociais ou através de digitais influencers é uma realidade e, para concretizar seu crescimento, o eMarketer realizou uma pesquisa em que 45% dos consumidores do mundo todo dizem utilizar as redes sociais para orientar suas decisões de compra, e os influenciadores têm papel importante nesse processo. Com isso, empresas viram uma boa oportunidade de disseminar sua marca e atrair o interesse do consumidor, gerando engajamento, leads e até mesmo a compra.

Pode não parecer, mas o fluxo deste mercado é tão grande que existem sites e agências especializadas em fazer a ponte entre influenciadores e empresas, muito além dos famosos “recebidos” ou das dicas. Mas, o que não se sabe ainda é a melhor maneira, ou a maneira correta e ética, para atuar. Por isso, a Associação Brasileira dos Agentes Digitais (Abradi), divulgou um manual com recomendações sobre boas práticas com influenciadores.

Pensado por 45 profissionais ligados ao universo digital e lançado no “Prêmio Influenciadores Digitais 2017”, no dia 03 de julho, o documento pretende orientar profissionais da comunicação digital no Brasil sobre questões que envolvem ética e comportamento empresarial para a contratação de influenciadores.

“Existe uma zona nebulosa nas relações entre marcas, agências e influenciadores no mundo todo. Estudamos o tema e adotamos como benchmark os códigos de conduta da Inglaterra, Austrália e Nova Zelândia. Fizemos adaptações ao nosso cenário e consultamos mais de 40 profissionais do setor, reforçando a credibilidade do documento. Ele pode ser considerado um guia de melhores práticas para o mercado. Acredito que conseguimos trazer um pouco de luz para essa questão”, explica Alexandre Gibotti, diretor executivo da ABRADI, através de comunicado oficial da instituição.

Entre os pontos, evitar ações publicitárias camufladas e deixar sempre clara as relações comerciais existentes entre marca e influenciador é um dos mais importantes e está presente nos dois primeiros tópicos do que é “Recomendado às agências”. Identificar um post sempre com palavras que fazem referência a peças publicitárias, através de vídeos, textos e até hashtags são importantes e criam uma relação honesta com o consumidor.

“Os influenciadores são hoje vozes poderosas que respeitamos e o endosso desses talentos para marcas e anunciantes precisa ganhar transparência – não pode ser uma ação publicitária camuflada. Se existe uma relação comercial entre a marca e o influenciador, isso preciso ficar explícito”, afirma Bibotti.

É importante lembrar que a Abradi é uma associação que defende os interesses das empresas desenvolvedoras de serviços digitais no Brasil e não uma entidade regulatória. Por isso, as recomendações divulgadas no código não podem ser interpretadas como leis. O documento está disponível para download gratuito em www.abradi.com.br, e será atualizado anualmente, sempre com consulta ao mercado.

Veja também